Projeto Kirimurê

PROJETO KIRIMURÊ

O Projeto Kirimurê objetiva contribuir de forma eficiente para a inserção social das crianças e jovens de 6 a 15 anos da comunidade do Alto da Bela Vista em Itapuã, Salvador/BA.

Por meio, principalmente, do ensino e vivências da capoeira, os participantes são estimulados em seu desenvolvimento físico e na formação e consolidação de seus valores éticos, indispensáveis para uma convivência saudável em sociedade, ainda que estejam inseridos em uma realidade social bastante desigual. Suas famílias são, aos poucos, também envolvidas e assistidas pelo projeto. Queremos contribuir para a formação destes jovens, construindo junto a esta comunidade, uma nova perspectiva de futuro.

Enquanto nossos ‘kirimurês’ aprendem o jogo, a música, a história e filosofia da capoeira, eles desenvolvem e nutrem sua força física e emocional, descobrindo suas raízes e construindo sua auto estima e caráter. Através da prática da capoeira, abrimos um diálogo com as crianças sobre quem elas são, porque são especiais, sobre o seu lugar de origem e como encontrar soluções positivas para problemas que parecem bastante difíceis de resolver.

Ampliamos o potencial de atuação da capoeira com o suporte das atividades dos 3 eixos do nosso Programa (descritas em Programa de Atividades). Oferecemos um espaço seguro, inspirador e pedagógico para minimizar a quantidade de crianças na rua em locais, muitas vezes, violentos e hostis. Os ‘kirimurês’ são, também, alimentados nutritivamente durante as atividades oferecidas.

O Projeto Kirimurê se empenha, ainda que com recursos limitados (e nos empenhamos também para a ampliação destes), a oportunizar uma experiência que perdure e influencie positivamente a qualidade de vida de nossos participantes. As crianças participantes mais velhas são inspiração para as crianças mais novas, gerando assim um ambiente de benefício mútuo e contínuo dentro de nossa proposta.

O Projeto atende atualmente 40 crianças e suas famílias; iniciou atendendo 20 e já chegou a atender 100 crianças nestes 10 anos de atuação. A instituição internacional Capoeira Arts Foundation (CAF) foi e ainda é a sua principal apoiadora. No entanto, pretendemos encontrar novas parcerias para garantir a sua sustentabilidade, tal qual se apresenta no momento e para sua necessária ampliação.

COMUNIDADE ENVOLVIDA

O ambiente, objeto deste estatuto, o bairro de Itapuã e, mais especificamente, a comunidade denominada Alto da Bela Vista, onde a instituição está localizada, apresenta índices compatíveis com a triste realidade de Salvador.

O bairro de Itapuã tem área de 4.513 ha, uma população estimada em 175.020 habitantes, 46.339 domicílios, com uma média de 3,7 hab/domicilio (Salvador em Dados 2006).

Os dados socioeconômicos apontam para a renda per capita igual a R$1.126,39 (Salvador) contra R$ 2.055,00 em Brasília; a pesquisa informal realizada na Instituição aponta para uma renda per capita da comunidade do entorno próximo de R$ 788,00, um salário mínimo (IBGE 2014).

Segundo a PNAD do IBGE, na RMS, 44,8% dos trabalhadores empregados de Salvador está na informalidade, o índice de desemprego formal é de 14,7%, o maior das capitais brasileiras. Dos 46 mil domicílios do bairro, aproximadamente 34 mil vivem com uma renda total de até cinco salários mínimos e 6.669 se declaram sem rendimento algum (IBGE, 2003).

Com relação à saúde, os dados apontam para o agravamento da incidência de tuberculose, que atinge 9,8% da população (IBGE, 2003). Diabetes, doenças circulatórias, violência contra as mulheres e drogas em todas as suas formas são também temas recorrentes em saúde pública da cidade, que tem paradoxalmente, uma melhora significativa no esgotamento sanitário, chegando a 98% dos domicílios.

Os índices de violência são comparáveis aos de um estado de guerra, com 80,9 homicídios por grupo de 100.000 habitantes (no Canada e no Chile são 2,2 homicídios por grupo de 100.000 habitantes), sendo que 70% das mortes violentas acontecem na faixa etária dos 15 aos 39 anos (Atlas do Desenvolvimento Humano, IBGE, 2000).

Com relação à educação, 9,5% das pessoas entre cinco e dezessete anos não frequentaram a escola em 2003 (IBGE); a taxa de analfabetismo total era de 21,2% na região Nordeste, contra 6,2% na região Sudeste e 5,8% na região Sul; a taxa de analfabetismo na faixa etária de 10 a 14 anos no mesmo período era de 8,1% na região nordeste, contra 1,00% na região Sudeste.

As taxas de escolarização estão também entre as piores do Brasil, apenas 43,1% das crianças de zero a seis anos estavam na escola em 2003, na faixa de sete a quatorze anos este número sobe significativamente para 96.1%, voltando a cair para 88,5% na faixa de 15 a 17 anos para 47,6% na faixa de 18 a 24 anos (IBGE).

POR QUE KIRIMURÊ?

Na língua dos Tupinambás, povo nativo brasileiro que habitou o entorno da atual Baía de Todos os Santos, na Bahia, Brasil, KIRIMURÊ significa “mar interior”, uma referência a um recurso de vital importância para a sobrevivência deles e de todos os habitantes deste local, que mais tarde, após a colonização, passou a ser chamado de Salvador: Kirimurê tinha abundância de peixes. Mais tarde, tornou-se o caminho marítimo para que barcos de pequeno porte, denominados saveiros, transportassem alimentos e bens entre as cidades do litoral da baía. A área de Itapuã costumava ser habitada por um solitário pescador da aldeia e se tornou um famoso bairro de Salvador. “Itapuã” na língua Tupinambá significa “pedra que ronca”, assim chamado por causa de uma rocha localizada no mar que projetava bem alto a “voz” produzida pelas ondas e dos ventos do Atlântico Sul.

Referindo-se a poderosa simbologia contida na palavra Kirimurê/Mar Interior, nosso Projeto vem contribuir para que seus participantes possam encontrar em si mesmo, no fortalecimento físico e de sua autoestima e na construção e assimilação de valores éticos, a força necessária e o caminho para o discernimento e inserção social, ainda que em meio a tantas dificuldades apresentadas pelo ambiente em que estão inseridos.

O Projeto Kirimurê está localizado em uma área sensível à criminalidade, deficiente em infra estrutura e suporte governamental. O nosso espaço contempla um ambiente saudável, bem cuidado e amplo. Oferecemos oportunidade para que, hoje, 40 crianças possam obter durante seus horários ociosos, educação, orientação, alimentação, diversão e atenção, resgatando sua auto estima e oportunizando inclusão social.

AMPLIAÇÃO DO PROJETO KIRIMURÊ:

Pretendemos ampliar o alcance do Projeto, ampliando nosso círculo de parceiros apoiadores, interessados em unir suas marcas e propostas a essa bela iniciativa de visibilidade internacional.

Estas são novas ações que planejamos para ampliação do alcance do Projeto Kirimurê: oferecer cestas básicas mensais às famílias dos nossos atendidos, implementar reuniões de acompanhamento das atividades oferecidas posibilitando sua melhor integração, fomentar discussões acerca de temáticas de pronto alcance a população, prestar assistência e formar parcerias com órgãos especializados para a melhoria da qualidade de vida destes individuos, além de incluir na nossa proposta atividades de direcionamento para uma formação profissional para os adolescentes participantes. E por fim, é de igual preocupação do Projeto, a ampliação do número de vagas oferecidas

OBJETIVOS DO PROJETO KIRIMURÊ:

Geral:

Estimular o desenvolvimento físico e o reconhecimento de valores morais e éticos em crianças e jovens, por meio da capoeira.

Específicos:

  • Estimular a convivência em coletividade;
  • Reconhecer os direitos humanos, através da compreensão do outro como individuo autônomo;
  • Contribuir para continuidade do jogo da capoeira como valor legitimo de nosso povo;
  • Transmitir o conhecimento, a história e as origens da capoeira, como forma de entender também nossas origens;
  • Criar oportunidades para que os participantes sejam capazes de interpretar textos e de se expressar através da oralidade e escrita;
  • Afastar os jovens do contato com as drogas, a marginalidade e a prostituição num processo contínuo de inserção social; 
  • Promover o contato com diversas formas de expressão artística.

ATIVIDADES DO PROJETO KIRIMURÊ:

OFICINAS:

Movimentos de Capoeira – fomentado pelo programa da UCA.

  • Aulas regulares durante a semana.

  • Turmas separadas por idade e disponibilidade de horário.

 Dança

  • Aulas com expressões diversas da cultura baiana e do Brasil ministradas durante as aulas de Iniciação à Capoeira.

  • Danças adjacentes à capoeira: Maculelê, Samba de roda e Puxada de rede.

  • Danças circulares sagradas (dança dos povos).

 Música

  • Aulas de percussão, preparação vocal, musicalização, com enfase na música de raiz da cultura brasileira.

  • Aulas de música de capoeira e toques de instrumentos da bateria durante as aulas de capoeira.

Oficina Literária

  • Orientação e discussão de temas através da leitura de histórias, com foco na interpretação de textos e nas histórias e cantigas da capoeira.

  • Desenvolvimento da escrita através das tecnicas e praticas de redação.

  • Desenvolvimento da expressão oral, orientada pela pedagogia griô (transmissão do conhecimento através da oralidade).

 

ACOMPANHAMENTO PSICOLÓGICO:

O acompanhamento psicológico é um eixo de fundamental importância para o Projeto Kirimurê, pois através dele, se pode avaliar a realidade em que o Instituto está inserido, o funcionamento das oficinas assim como o relacionamento entre os beneficiários, suas famílias e equipe institucional.

  • Nossa psicóloga atende por meio de entrevistas individuais e em grupo os beneficiários do projeto e seus familiares. A partir deste retorno, os professores e coordenadores elaboram relatórios e instrumentos de avaliação com o intuito de desenvolver junto à coordenação do projeto, estratégias para melhor orientar as crianças e adolescentes, além de analisar o desenvolvimento da equipe.

ATIVIDADES EXTRAS:

Atividades que não fazem parte do programa das oficinas, mas ocorrem periodicamente:

  • Visitas, treinos, rodas e eventos com outros grupos da comunidade de capoeira da Bahia e outras áreas.

  • Cursos esporádicos de expressão artística como teatro, oficina de palhaço, circo, dança, musica e roda de tambores.

  • Cine Pipoca (temas variados ligados a nossa cultura) para as crianças e seus familiares.

  • Rodas de capoeira com temas especiais tais como Roda de Velas.

  • Participação em atividades de outras associações e entidades culturais que tem conteúdo para contribuir com o desenvolvimento individual e coletivo.

  • Palestra sobre meio ambiente e sustentabildade, bem estar e qualidade de vida, promovida por outras instutições e entidades.

  • Vivências com culturas diversas.